+IMAGEM+

Projeto de Leitura de História em Quadrinhos apresenta-se como suporte didático-pedagógico, uma ferramenta para o fomento da leitura, com vistas a ampliar e fortalecer a competência leitora dos alunos de 1º ao 9º ano da rede.

É composto por revistas em quadrinhos e almanaques da Turma da Mônica, escolhidos especificamente para todos os anos do Ensino Fundamental, relacionados a temas, conceitos ou tópicos de tradição curricular na respectiva série/ano. Além disso, acompanha um material de Orientação Pedagógica que fundamenta o uso didático das revistas e orienta o processo de formação continuada para multiplicadores e/ou professores indicados pela unidade institucional interessada nesta tecnologia educacional.

Projeto de Leitura de História em Quadrinhos se justifica pela necessidade de desenvolver uma prática de leitura voltada à ludicidade, oferecidos pelas histórias em quadrinhos, que são um gênero textual colorido, ilustrado e rico de recursos gráficos que estimulam a curiosidade e a diversão. Os quadrinhos permitem que a criança antecipe o enredo e atribua sentido à história, mesmo não decodificando a leitura, pois a utilização e as informações contidas nos balões estimulam o prazer de ler e a imaginação.

Assim, o que norteia esse Projeto de Leitura de História em Quadrinhos é a mobilização de alunos e professores para, juntos, descobrirem o exercício da leitura como construção criativa, partilhada e significativa. Em consequência, o despertar da vontade de ler que favorecerá a aquisição da competência leitora e da capacidade de produção escrita, contribuindo de modo expressivo para todo o conjunto do processo ensino/aprendizagem.

Além disso, o Projeto de Leitura de História em Quadrinhos possibilita trabalhar com os descritores da Prova Brasil por meio de situações pedagógicas em que os alunos devem localizar informações explícitas e inferir as implícitas em um texto, distinguir os fatos apresentados da opinião formada acerca desses fatos em textos narrativos e argumentativos, de modo a ser capaz de diferenciar fato de acontecimento, e ainda da interpretação que lhe é dada pelo autor do texto.